Enxergue a Vida real, além das cascas da aparência

Eu geralmente não comento sobre política, porque não sinto que a solução está no nível do problema. Isso, aprendi com Einstein. E com Buda. Mas eu sei que não estou alheia a tudo que acontece, porque a situação do Brasil tem efeitos na minha família, na minha casa e no meu trabalho – efeitos que não são desprezíveis. Semana passada gravei um vídeo sobre o sentimento dos brasileiros (está aí embaixo), de que muitas pessoas gostaram e compartilharam, então vou estender um pouco esse assunto.

Nós temos vivido um clima emocional muito tenso e pesado, incentivado pelas notícias, prolongado pela demora em todos os processos em curso, que são humanos, mas também judiciais e políticos.

O fato de estarmos nesta situação é uma pista das nossa condição espiritual e de nossas necessidades, porque, embora sejamos criaturas espirituais, vivemos momentos indispensáveis no corpo, inseridos na realidade da matéria densa. Indispensáveis para a sequência de nossa jornada de progresso e aprendizado.

O que eu dizia é que as informações a que se tem acesso e o tipo de reação e comentário que elas geram, são apenas uma camada superficial da realidade. Que eu chamei de cascas da realidade. Então, falamos da situação, de direitos e de razões, partindo sempre do acesso que a mídia nos proporciona e de acordo com o clima emocional do meio que nos cerca, das pessoas que estão mais presentes nas nossas redes sociais.

O primeiro ponto a destacar é que nossas redes sociais não retratam a Humanidade, nem a Verdade e, nem sequer, abrangem todas as visões possíveis. Graças ao seu próprio modo de funcionar e de identificar nossas preferências e anseios, o Face nos mostra o que gostamos e o que esperamos ver. Esse é um nível de embaçamento da realidade.

O segundo nível de embaçamento é a própria matéria. Claro que a matéria é ilusoriamente sólida; ela só parece sólida por causa da força que mantém as suas partículas ligadas umas às outras, mas essa solidez é muito convincente. Se você esfola o joelho no chão, seu joelho dói! No entanto, as próprias sensações são indicações e mensagens para nosso intelecto e aprendizado.

Mas o terceiro nível de embaçamento é a própria razão! A teia de pensamentos que criamos e em que acreditamos. E, sobre isso, Allan Watts foi sintético e perfeito: “Uma pessoa que pensa todo o tempo não tem nada a pensar, exceto pensamentos. Por isso, perde contato com a realidade e vive num mundo de ilusão.”

calunga_60

As razões reais do que ocorre nesse mundo nunca estão óbvias. E, muito menos, está claro o que você ou eu ou quem quer que seja estamos fazendo no meio disso. Sim!!! Porque embora você olhe em volta e ache terrível, injusto, revoltante, e creia que não tem nada a ver com você… bom… tem TUDO a ver!

Mas você não percebe, porque o quarto nível de embaçamento costuma ser muito embaçado mesmo: ele trata do conhecimento de você mesmo ou mesma. E cada ser que compartilha este planeta com você está vivendo essa mesma situação. Está numa jornada ao encontro de si, difícil e complexa.

A vida encarnada é isso, é um espelho que fica nos mostrando a nós mesmos o tempo todo, esperando que a gente se veja, se reconheça e se ajude, se compreenda, se melhore. Então, não se distraia com a casca da realidade. Vá para o miolo, que, nos frutos, também é onde se encontra a semente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s