Sabe, eu tive uma infância boa, mas ela não foi nada fácil, o que se complicou mais ainda na adolescência. Mas quando eu olho para tudo o que aconteceu, consigo perceber que sobrevivi muito bem.

Tive bons exemplos na família, estudei numa boa escola, lia muito. Embora não tenha ficado sem arranhões, considero positivamente o que fiz, daquilo que estava disponível.

Disponível… Isso mesmo! A ideia de disponibilidade tem a ver com acesso. Quando você clica num menu do seu tablet ou notebook, há opções disponíveis: são aquelas que aparecem mais escuras e o cursor se transforma numa “mãozinha” quando passa por elas. Significa que se você clicar, vai abrir uma janela ou levar você para onde quer. E tem as opções indisponíveis, que estão ali, mais claras que as disponíveis – pra você saber que elas existem. Mas o cursor não se altera ao passar por elas. E se clicar, nada acontece.

As situações da sua vida, o disponível e o indisponível, não surgem de graça. Com o seu nascimento, veio um pacote básico de aplicativos, mas você foi fazendo alterações nos programas, com o correr do tempo.

Você causou certas situações presentes, agindo de um certo modo ou repetindo certos hábitos, nesta vida. Ou você vem agindo assim em muitas vidas e chegou a hora de rever seus atos e ideias sobre a realidade e as pessoas. E isso tudo a ver com o que está disponível para você HOJE e o que não está. Com as janelas que abriu ou fechou, na sua tela cotidiana.

Você pode chamar isso de Carma. Carma é um vínculo energético, ou seja, ele é uma energia com uma frequência específica e uma vibração que se expande na sua existência. Suas emoções e reações criam conexão e carma de diversos tipos, fazendo alterações nos menus.

Você não tem consciência disso. Então, um bom modo de se perceber nessa relação é olhar para a sua vida agora e descobrir duas coisas – (1) o que você conseguiu? Que janelas se abriram? Quais se fecharam e continuam sem abrir?

E também, (2) como você conseguiu isso (agindo de que modo)? Junto veio uma bagagem de cansaço, tensão, ansiedade, medo, frustração, inimizade…? Satisfação, amizade, alegria, conhecimento?

Quando você se conecta a pessoas, objetivos, ideias, projetos, você se conecta também às emoções relacionadas a tudo isso e passa a experimentar os efeitos dessa frequência e dessa vibração. E frequência e vibração têm a ver com disponibilidade ou indisponibilidade, e acesso.

Quando penso no que me ajudou a atravessar as dificuldades e chegar a um lugar existencial melhor, noto que minha mente teve um papel imenso. Não estou falando de repetir frases positivas simplesmente, mas em buscar uma clareza sobre a vida e sobre mim mesma, sobre disponibilidade para aprender e usar o que aprendi. Segundo observo, é assim que as opções vão reaparecendo no menu.

Se isso fizer você pensar ou gerar perguntas, me escreva, ok?

Publicado por ritafoelker

Palestrante, filósofa e jornalista. Escritora reconhecida nos temas: espiritualidade, inteligência emocional e educação, publica livros desde 1992. Faz palestras no Brasil e no exterior, realizando sua formação com Roberto Shinyashiki / Instituto Gente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: