Ter raiva é bom e saudável. Ter raiva é humano e é um tipo de proteção para quem a sente. Na década de ’90, com a popularização de alguns conceitos da Inteligência Emocional, essas ideias foram muito disseminadas.

Todo mundo sente raiva e o que está escrito acima é verdadeiro, sim! Raiva é uma reação emocional a situação que represente ameaça ou perigo, para gerar um movimento que proteja nossa vida e a integridade. Funciona como uma defesa.

Mas, existem várias coisas importantes para saber sobre a raiva, antes de sair carregando por aí ou jogando sobre os outros. Por exemplo, que quando demora para passar, ela causa problemas de saúde, afeta nosso desempenho, produtividade e qualidade de vida.

3 fatos frequentemente ignorados sobre raiva:

Primeiro. Quando você segue pela vida com muita raiva de tudo, você algumas vezes, desconta nos outros. Isso gera tensão, desgaste energético e conflitos, que talvez prefira evitar.

Segundo. Então, para não descontar nos outros, não é raro descontar, por exemplo, na comida.

Sim, comendo demais! Exageros ocorrem, quando o apetite é sentido mais como fome emocional que como sensação física. A comida ajuda a diminuir o estresse que a raiva guardada provoca. Mas cria voracidade e impede a autopercepção: você não percebe que a necessidade orgânica já foi saciada e continua comendo além do que seu organismo precisa.

Você pode gerar problemas de saúde e tornar-se obeso(a), se não reconhecer e lidar melhor com sua emoção.

Terceiro. Você sente várias outras coisas, no dia a dia, que não identifica como raiva e que fazem tanto mal quanto. Se você tem inveja, por exemplo, saiba que ela funciona como raiva, podendo virar ódio – e, até, vingança!

Inveja começa na não aceitação de uma situação e condição pessoal, familiar ou profissional própria. Essa não aceitação poderia ser utilizada de forma positiva – encontrando caminhos e tomando atitudes que conduzam à condição almejada.

Mas quando essa não aceitação é dirigida como negatividade a alguém que conseguiu o que você não tem ou que chegou à tal posição desejada, isso gera pensamentos contrários a essa pessoa e aparece a inveja, a vontade de “puxar o tapete”, de descobrir um “podre”, de destruir ou manchar de algum modo aquela pessoa.

Quando não passa e nem é trabalhada (em terapia, meditação etc.), a inveja consome tempo, pensamentos, mente, compromete a alegria e a possibilidade de ser feliz.

Portanto, é importantíssimo você entender como sua raiva funciona, controlar a forma e a intensidade de sua expressão e usá-la de maneira positiva, como impulso para seus projetos.

Inteligência Emocional é uma das palestras oferecidas em nosso portfólio, em que o reconhecimento emocional é aprendido e o autocontrole possibilita resultados efetivos. Saiba mais.

Publicado por ritafoelker

Filósofa, palestrante e jornalista. Escritora reconhecida nos temas: espiritualidade, inteligência emocional e educação, publica livros desde 1992. Faz palestras no Brasil e no exterior, realizando sua formação com Roberto Shinyashiki / Instituto Gente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: