Vida em sintonia com um projeto evolutivo – Programa Inteligência Espiritual nº31

Para algumas pessoas, o sentido da vida é escolher uma montanha e chegar ao topo. Para outras, é definir uma meta e seguir em sua direção. Outras ainda querem se libertar de algo. Ou acender uma luz para as vidas próximas. Ou simplesmente desfrutar os momentos. E tem as que, atendendo à insaciável curiosidade intelectual, se dedicam a explorar as dimensões do desconhecido.

Não há nada de errado em sentir que a vida pode ser tudo isso. Mas não existe nada a esse respeito que possa ser imposto de fora. A gente precisa sentir lá dentro.

A gente precisa aprender a seguir os propósitos da nossa alma na Terra. E ela sempre tem um propósito que é principal para cada existência, que preenche nossos dias de energia e sentido…

Temas: Profissão, carreira, burnout, Viktor Frankl

Ouça agora! Clique aqui:

 

Como acabar com a corrupção – Programa Inteligência Espiritual nº 30

Do ponto de vista espiritual, reclamar de uma situação, achar que ela é injusta, é uma espécie de negação interna. Reclamar é um modo de não reconhecer que contribuímos para algo acontecer. E lançar um problema para fora de si é um modo de não resolvê-lo. Culpar os outros é admitir sua própria incapacidade de fazer algo a respeito. Este é um padrão comportamental do vitimismo: afirmar que sua vida não vai bem por culpa de outros.

O vitimismo, num grau elevado, não deixa você ver nada de bom em sua vida, porque isso significaria deixar de culpar os outros pela sua situação. Mas a “vítima”, além de ter uma perspectiva equivocada, comete também o equívoco de se vingar do outro em si mesma: ela não se vê capaz de fazer algo para melhorar.

Temas: responsabilidade, educação, poder, Aymará

Comunicação: o aprendizado da fala e da escuta – Programa Inteligência Espiritual nº 29

Tem uma postagem no Face que diz: “Até consigo ficar quieta, mas a minha cara diz tudo.” Então, isso quer dizer que algo é comunicado pelo meu corpo sem que eu queira.

Ah! E tem a outra pessoa, que captura essa expressão e interpreta de algum modo. E essa interpretação tem tantos elementos, tem tantas influências. Tem as situações parecidas do passado, tem o jeito como a família costumava dizer as coisas, tem aquilo que se vê em novelas e filmes, tem o seu próprio passado espiritual que condiciona certas visões da vida.

Desse modo, muitas vezes, o que é entendido tem muito pouco a ver com o que se pensou dizer. E muitos desentendimentos começam…

Temas:

Ouça agora! Clique aqui:

A importância do equilíbrio nos relacionamentos – Programa Inteligência Espiritual nº28

A gente funciona dentro de alguns padrões aprendidos nas interações humanas e incorporados pelo Ego. Algumas vezes, trouxemos esse costume da própria família. A gente pode usar esses padrões como se isso fosse beneficiar alguém ou resolver uma situação, mas analisando melhor, vemos que de fato nada melhora.

A culpa, por exemplo, é um desses padrões. Se algo acontece que não me deixa bem, que não me agrada, posso culpar alguém e sentir algum tipo de falso alívio, mas sem que isso de fato melhore ou solucione a situação em si.

Mas quantas brigas começam por que algo aconteceu e culpamos o outro?

Eu posso, no entanto, em lugar de apontar o dedo, exercitar meu entendimento e minha espiritualidade nesse momento.

Temas: “Mulheres de Coragem”, culpa, Monja Coen

Ouça agora! Clique aqui:

Paz na fala e na escuta – Programa Inteligência Espiritual nº27

Pensamos que a violência é algo exterior que nos agride e destrói nosso mundo, mas esquecemos de que ela é uma vibração, que atinge todo ser que com ela sintonize, sabendo ou não, permitindo ou não.

E muito embora possamos acreditar que não sintonizamos com a violência, porque não a praticamos em atos ostensivos, aquilo que pensamos e dizemos pode estar impregnado de agressividade, inveja, intenção de humilhar, envergonhar, coagir, enganar, manipular… Falas intimidadoras, palavras que depreciam ou fazem a outra pessoa se sentir sem valor. Mesmo que as palavras sejam bonitas e bem aplicadas! O famoso “tapa com luva de pelica”. Isso pode ocorrer em diversos meios sociais, de forma sutil mas inegável.

Temas: Comunicação Não Violenta, Marshall B. Rosemberg, agressão psicológica

Ouça agora! Clique aqui:

Carma na prática – Programa Inteligência Espiritual nº26

Quanto mais convicto e constante for um pensamento, mais ele se imprime na sua vida, e isso funciona com todos os seres humanos.

E há níveis de criação de realidade, que vão desde as ideias que povoam a sua mente e fazem você ver a vida de um certo jeito, até aqueles pensamentos que se materializam no meio encarnado e afetam as outras vidas. Todos nós fazemos isso, sabendo ou não.

Sempre que você pensa, você emite energia em direção ao que pensa. Sempre que você agrega uma intenção, esse pensamento se exterioriza e começa a realizar essa intenção.

E sempre que você pensa muito numa pessoa ou situação, sempre que você se liga a uma atividade ou a um grupo de pessoas, por meio de pensamentos e ações, você cria um sistema energético que fica funcionando ali.  Note como as cidades formam um sistema que envolve seus habitantes, imprime certas formas de ser, de agir e até certas posturas corporais! Famílias são sistemas. Empresas são sistemas. Grupos de amigos são sistemas.

Você pode estar num sistema positivo, saudável e próspero, mas às vezes, também compartilha um sistema vicioso, doentio e infeliz…

Temas: períspirito, energias, sistemas energéticos, família, críticas

Ouça agora! Clique aqui:

Mente egoica e mente espiritual – Programa Inteligência Espiritual nº25

A percepção de Deus ou da Espiritualidade é esse estado íntimo de segurança e confiança na Vida. Leonard Cohen, o compositor de uma das músicas mais clássicas do mundo contemporâneo chamada “Hallelujah”, disse numa entrevista: “Um estado de graça é esse tipo de equilíbrio no qual você cavalga o caos que encontra ao seu redor. Não é uma questão de resolver o caos, porque há algo arrogante e guerreiro em colocar o mundo em ordem”. Essa entrevista foi publicada na revista McLeans, em outubro de 1966.

Mas para entender isso, é preciso sair da mente egoica e começar a enxergar com a mente espiritual…

Ouça agora! Clique aqui:

 

 

 

 

A essência do caminho espiritual – Programa Inteligência Espiritual nº24

Se você mantém uma intenção limpa e o pensamento equilibrado, o Universo proverá você de amizades afins e situações de acordo com a sintonia da sua alma. Você encontrará conversas frutíferas e boas soluções para as suas dificuldades. Atrairá seres (espirituais e encarnados) que ajudam para o Bem e a Evolução.

Mas quanto à individualidade, ela é uma construção e um direito de cada Ser.

Como diz Heidegger, um filósofo alemão contemporâneo. “Todo homem nasce como muitos e morre como um único.”

Temas: Aymará, “Primeiro erros”, Thich Nhat Hanh, autodescoberta, pessoas incovenientes

Ouça agora! Clique aqui:

Proteção e defesa espiritual – Programa Inteligência Espiritual nº 23

Achados arqueológicos de diversas culturas mostram objetos relacionados à intenção de pessoas que buscavam proteção ou defesa na sua posse. Isso, nas mais diferentes regiões do mundo. Há muitos séculos atrás e até hoje, xamãs ou feiticeiros têm o costume de preparar pequenos pacotes contendo materiais que devem ser carregados no bolso ou junto ao corpo, os quais têm propriedades consideradas “mágicas”. Em diversas sociedades, isso está relacionado a um ritual de consagração, ou, se for planta ou mineral, existem regras para sua coleta.

Mas esses objetos podem ser realmente capazes de nos proteger?

Temas: Elementos material e espiritual, prece, Ernesto Bozzano, poder dos objetos

Ouça agora! Clique aqui:

Que energia você coloca nas coisas que faz? – Programa Inteligência Espiritual nº22

Isso significa que, ao desejarmos, amarmos, odiarmos, ao desprezarmos, ou julgarmos, aquilo que sentimos se comunica em forma de energia que pode afetar o objeto a que se dirige,  o ambiente e as outras pessoas, mas que certamente nos afeta inevitavelmente. Talvez você ame pintar, por exemplo, ou escrever, e faça isso com toda a sua alma. Mergulha no processo do desenho ou escrita e faz com muito carinho e atenção. Isso significa que a sua alma se sente bem e se encontra a si mesma, ao fazer isso. Mas pode ser que você não se sinta do mesmo modo quando precisa, sei lá… ir ao supermercado. Isso pesa nas suas pernas, no seu rosto, no seu ânimo. Ir ao supermercado lhe parece cansativo, demorado e pouco interessante. Sua alma não quer estar ali.

Temas: Nilton Stuqui, a sombra de Paulo, energia, intensidade de alma, autoconhecimento, Calunga

Ouça agora! Clique aqui: