“Não se irrite. Sorria.”

Você também vê muita gente irritada por aí, na TV, no transporte coletivo, nas ruas? Tem pessoas que são habitualmente muito irritadas e irritáveis pelos mais leves motivos. Reagem com irritação às mais diversas situações cotidianas, naquilo que postam nas redes sociais, no jeito como se dirigem aos outros que, eventualmente, estão vendo pela primeira […]

4 questões essenciais sobre a prática espiritual

1. Quem procura um caminho ou prática espiritual, espera obter realmente o quê? O buscador sincero espera encontrar um caminho ou prática que faça sentido para si mesmo, dando-lhe a sensação de um progresso e de uma elevação na conduta e na sensibilidade, ampliando a paz íntima e a harmonia com as circunstâncias da sua […]

Autopreservar-se das más palavras

Às vezes, as pessoas dizem coisas ruins sobre nós. Às vezes, dizem-nas para nós. Outras vezes, essas coisas nos chegam por via indireta, mas nos acertam em cheio. Essa é uma situação em que precisamos aprender a nos proteger, para não sermos atingidos. Porque quando algumas palavras ou frases nos pegam de jeito e são […]

A pessoa tem culpa por estar doente?

Tempos atrás, meu amigo Alexey Dodsworth escreveu um longo post no Face, sobre a abordagem esquizotérica (palavra dele) de quem tenta culpar alguém pelas suas doenças. Ou seja, você não apenas está doente, como isso representa um “traço negativo do seu caráter” – completava. Tinha a ver com pessoas que não contam que têm câncer, porque gente próxima […]

Meu novo ebook EDUCAR PARA AMAR E SE CONHECER, disponível na Amazon

Espiritualidade não é crença e cumprimento de rituais diários. Isso pode ser opinião e hábito adquirido. Isso pode ser medo. Medo da vida material dar errado e, por isso, agarrar-se a algo. Se não tiverem como fundamento a busca efetiva de conexão com a dimensão espiritual da existência e o senso do nosso potencial interno, nossas ideias e […]

Colorir livros: um prazer assumido pelos adultos

Colorir livros agora é um prazer assumido pelos adultos. E a palavra chave aqui é “assumido”. Porque, há tempos, algumas propostas de arte vêm sendo aceitas, entre os mais crescidos, devido a seu alcance terapêutico. Como os livros de mandalas para colorir. Só que, ainda assim, o público era restrito e a justificativa era um motivo racionalmente […]