Por que você atrai “pessoas erradas”?

Talvez você tenha vivido situações estressantes e difíceis em relacionamentos e seu primeiro impulso foi de apontar o erro do outro, culpar o outro por ocorrências desagradáveis, isentando a si mesmo(a). Talvez você tenha até terminado essa amizade, sociedade ou namoro, porque não desejava “pessoas assim” na sua vida.

Mais tarde, quando a poeira baixou, você repensou e os fatos acabaram tendo menos importância que no momento em que aconteceram. Um bom papo com um amigo ou amiga pode ter lhe apresentado outro ângulo da situação. Talvez o tema surgiu na terapia e você pôde olhar novamente para a velha questão, enxergar o que antes não conseguia. Houve, assim, um aprendizado.

Mas e se eu lhe disser que o aprendizado era o principal?…

Tudo funciona melhor quando se compreende que todos os relacionamentos nos ensinam alguma coisa. Todos.

E que nos ensinam especificamente sobre nós mesmos, antes de mais nada.

Um dos efeitos de se adquirir uma visão espiritual mais ampla da vida e dos relacionamentos é exatamente esse: parar de culpar somente o outro, passar a assumir sua própria responsabilidade e poder decidir – com mais consciência – a respeito do que se quer, a partir de  um grau maior de lucidez ou discernimento, sem o desmantelo das emoções à flor da pele, sem tanta raiva ou mágoa e sem a ignorância das leis da vida. Quando se começa a observar: O que é que me deixa contrariado? O que me incomoda? E como fico, quando sou contrariado? Ser assim me faz bem ou não?…

Talvez você viva se envolvendo com pessoas que sugam você. Que enganam você. Que não levam você a sério. Que se aproveitam de você. Mas qual é a sua parte, nisso? Onde você é sugável, enganável, aproveitável etc.?

Nós nos aproximamos uns dos outros para evoluir individualmente e coletivamente. Não há vítimas, não há culpados. Você vibra na frequência dos seus pensamentos, ações, emoções e sentimentos. E atrai pessoas na mesma frequência.

A vida está lhe mostrando algo em você, através do outro.

Quando um relacionamento parou de ser bom, não quer dizer que acabou. Será que você parou de aprender ou desistiu de tentar? Será que percebeu que realmente não está valendo a pena, que não dava pra seguir adiante porque está se machucando muito ou machucando o outro?

Mesmo em casos assim, há sempre algo a ser curado, nas suas emoções difíceis, quer a relação siga adiante ou não. Só assim você vai recuperar a paz: quando liberar os ressentimentos e parar de culpar somente o outro pelo que deu errado.

Tudo que está em sua vida é um reflexo da sua necessidade, da sua dificuldade. Representa um momento de aprendizado específico que vai perdurando ou se repetindo, enquanto você não absorver o ensinamento.

Mas também reflete sua força e leveza internas. Seu progresso e crescimento como pessoa e sua caminhada espiritual. Talvez você esteja fechado, reclamando, esperando aparecer alguém especial e maravilhoso pra você se dar uma nova oportunidade. Mas não é assim que funciona: a nova oportunidade – oportunidade de verdade! – surge quando você realiza transformações interiores reais e atrai novas situações para o seu cotidiano.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s